29 de abr de 2014

#

"...Não precisamos mais de chuva: eu me molho com a água que escorre das suas lágrimas, todas as noites. E o sal que dissolve nossas mais doces lembranças é o mesmo que resolve se enfiar em algum canto alegre dos seus olhos. E ali pude sonhar acordado. E ali pude sorrir e, ao sorrir, não expus apenas trinta e dois dentes. Abri, quase trazendo o sol de um verão que não existe mais, trezentos sóis e um sorriso com o peso da incerteza. O sono foi profundo. O sonho também deve ter sido. Nunca saberemos. A única certeza é que naquela manhã ninguém mais disse bom-dia. E que seus olhos negros brilharam como há muito não brilhavam. E que os poemas, ficaram sem palavras. Só há manchas no papel. E que onde estava escrito saudade, agora há ausência..."
Antes de você abrir os olhos.
[Eu me chamo Antônio]

28 de abr de 2014

#


Duramente ferido ele se lança ao oceano, suas mãos estavam cortadas pelas cordas do mastro do navio, suas costas estavam doloridas de passar tantos dias sem uma cama em alto mar. Ele se joga, sem esperança e sem oportunidades de uma vida genuinamente feliz. Suas cicatrizes mostram o quão sofrida foi sua vida. Após jogar-se pôde sentir o corpo entorpecer, era como se todas as cicatrizes estivessem sendo curadas pela água fria e salgada do Pacífico. Em seu último suspiro sentiu toques suaves em seu rosto, e num último piscar de olhos lá estavam elas, as sereias. Longos cabelos cor de prata, e peles num tom claro de azul, elas eram os seres mais belos que ele já tinha visto em toda sua vida de marinheiro, mas estava morrendo, seria aquilo uma alucinação? ou mais um mistério do universo? Ele fecha os olhos e sente a água fria congelar-le o corpo, se deixa levar pelos mais loucos devaneios e enfim parte.

W.S

21 de abr de 2014

Antropocentrismo poético

Existem pessoas que são tão grandes que não cabem em si, e não digo grande de centímetros ou metros, mas sim de sentimentos. Provavelmente sou dessas, as vezes sinto que vou transbordar, estou tão cheia de mim que me vejo em todos os lugares, me vejo em todas as cores e quadros, me vejo na imensidão do céu e por todo o cosmos. E encho-me cada vez mais, tomo porres de mim mesma e me embebedo com meu eu. Parece egocêntrico, mas afinal o que temos além de nós mesmos? Se não estivermos tão cheios assim de nós o que irá nos encher? 

Cheia de mim,contenho o universo inteiro aqui dentro. E assim como ele se expande expando-me também, me tornando cada vez maior e mais cheia de todas essas coisas efêmeras, que pairam entre a euforia e o desgosto. No papel eu me borro como aquarela num mix de tons variados, que se encaixam perfeitamente como pequenos planetas não explorados e cheios de mistério e poeira intergaláctica.  Me sinto sublimemente infinita. E fico em êxtase, a espera de um explorador destemido, disposto a se aventurar em minhas mazelas e alegrias tão infinitas quanto eu, nos calabouços mais sombrios da minha alma e nos campos floridos de minhas memórias, o que é estar vivo? É sentir-se cheio de si, é sentir-se inundar de seus próprios sentimentos e conte-los sem dar chance a uma gota se quer, desse mar sem fim, sair.

Em espasmos busco pelo remédio, a porção que me diminua e que me estanque. Só que saio em jatos pela boca e pelas mãos em letras e em textos. Eu vomito poesia para não me afogar em mim, e ai de quem se atreve a entrar nesse mundo de avalanches e tempestades, dominado por olhos grandes e negros que sugam sentidos e gostos para dar lugar aos mais afrodisíacos estados de transcendência.

Talvez a culpa seja da solidão, estar só fora a causa de tudo isso. A causa de todo esse antropocentrismo poético que habita em mim, talvez guardar tudo tenha criado uma molécula que de tão densa explodiu como o Big Bang. Ou talvez eu seja tão pequena ao ponto de não compreender-me, acho que essa é a explicação; sou pequena demais, sozinha demais, corajosa demais,intensa demais e minimamente infinita. 
Sou maior que meus textos e menor que meu coração.   

W.S

8 de abr de 2014

Tumblr da W.S Aurora

Finalmente criei vergonha na cara e criei um tumblr para colocar todos os meus textos e poemas, eu ficaria feliz que vocês dessem uma olhadinha :) E compartilhassem o amor com as outras pessoas k3
http://auroraquotes.tumblr.com/

7 de abr de 2014

Ter a auto estima baixa é a pior coisa do mundo.
VOCÊ É INVISÍVEL MENINA, NINGUÉM TE OLHA.
Faça o favor de retirar-se!  A G O R A.

Aurora Melancólica #5

Aurora as vezes virava Scarllet [...]

Não consigo entender como conseguimos ignorar as pessoas que gostamos, na boa como isso é possível?
Jamais deveríamos ter construído em nossa sociedade essas dependências de ego, se não fosse isso tudo seria mais fácil, você estaria mais preocupada com a coxinha que ta fria do que com a atenção de alguém estúpido.